Que idade tem o meu filho?

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Pai


Só eu sei a dor da cicatriz que tenho na alma!
Foste e és um Pai ausente.
Mas eu sou como tu... coração puro e doce,
Que vê o bem em todo o lado.
Pai, tu não tens culpa, não!
E porque hoje é o teu dia,
O dia em que vieste ao mundo,
Te faço esta homenagem
Porque fazes uma idade engraçada : 69 ANOS!

FELIZ ANIVERSÁRIO QUERIDO PAI!

Embora estejas no teu mundo e eu no meu,
Gosto muito de ti, apesar de tudo!
Um beijinho muito especial.

A tua "besnica"

Um poema te dedico...

"Pai, nada podem teus olhos doces,
como nada puderam as estrelas
que me abrasam os olhos e as faces.

Escureceu-me a vista o mal de amor
e na doce fonte do meu sonho
outra fonte tremida se reflecte.

Depois... Pergunta a Deus porque me deram
o que me deram e porque depois
conheci a solidão do céu e da terra.

Olha, minha juventude foi um puro botão
que ficou por rebentar
e perde a sua doçura de seiva e de sangue.

O sol que cai e cai eternamente
cansou-se de a beijar... E o outono.
Pai, nada podem teus olhos doces. "

Pablo Neruda

6 comentários:

Laura disse...

Atã parabens ao teu querido Pai, Pai é pai e tá dito, que idade engraçada, ora pois..beijinhos da laura..

Estrela d'Alva disse...

Pipinha,

É uma bonita homenagem!
É sempre lindo homenagear um Pai!
Dá-lhe por mim os parabéns =)

Beijinhos,
Estrela d'Alva

Angel of Light disse...

Adorei o teu post e a pura sinceridade do teu coração. És um exemplo de honestidade!

Beijinhos de Amor e Luz querida maninha!

Pjsoueu disse...

Querida Pipinha...

Parabéns ao Pai...Pela Filha que tem..


beijinhs

Pj

Laura disse...

Olaré, ando a fazer tempo para que o tempo passe depressa e amanhã vos possa abraçar a todos, todinhos...beijinhos..e que calor está, ufa, ufa, acho que me vou deitar ao mar e tudo ai em s. martinho..beijinhos.

Filoxera disse...

Agora fico sem palavras.
Não sei a razão desse afastamento, mas permites uma sugestão?
O meu pai sempre foi uma pessoa algo reservada no tocante à demonstração de afectos. Não sei se o facto de não ter conhecido o seu próprio pai teve influência nisso. Mas foi um bom pai. Tudo o que tenho de determinação, espírito crítico e coragem bem dele. O gosto pela leitura, pelo xadrês, pela actividade mental.
Perdi-o muito antes da morte; perdi-o quando o Alzheimer se apoderou dele. Mesmo aí eu contava-lhe tudo, pegava nas mãos dele, confidenciava-lhe segredos.
A morte levou-o pouco antes de a Mafalda nascer. E posso dizer-te que penso nele constantemente. Com uma saudade infinita.
Sugiro-te que não deixes para depois o que podes demonstrar agora...